Eterna aprendiz

Não existe nada mais fatal para o pensamento que o ensino das respostas. Para isso existem as escolas: não para ensinar as respostas, mas para ensinar as perguntas. As repostas nos permitem andar sobre terra firme. Mas somente as perguntas nos permitem entrar pelo mar desconhecido" (Rubem Alves)

sábado, outubro 07, 2006

DIFERENÇAS

Ótimo. Óptimo. Essa correção já me aconteceu de forma sutil, claro, mas dei me de ombros. Usei o jogo faz-de-conta que não entendi, embora saiba que existem diferenças numa mesma língua. Dependendo do lugar onde se fala português as variações seguem desde a regra de acentos(enquanto usamos os circunflexos em determinadas palavras, outros se usam os agudos) ao acréscimo de letras c, p em certas palavras e por ai vai a nossa complexa Língua Portuguesa. Acontece em outras línguas. Acredito que não seja tão ampla como a nossa. Exagerada de regras e artefatos.
No Brasil a coisa anda assim: se pularmos de região a região, já sentimos o linguajar diferenciado entre sotaques e jargões natos e a cara de espanto (não entendi patavina).
Assassinamos o Tupi-Guarani, nossa (que seria) língua materna, embora usamos os resquícios sobrados. Palavras como: abacaxi, xará, maracujá, mandioca etc. e mais uma grande variedade deste gênero que me falham a memória no momento.
Rapariga!Que palavrão! Embora saibamos sua definição correta através dos dicionários, insistimos em usar para denegrir a imagem das mocinhas ingênuas e puras. Se bem que essa raça esta em extinção.
A coisa muda de figura, quando surge a amenizadora Lingüística, que segundo a sua teoria não há erros na língua falada desde que haja comunicação. Se levássemos a fundo essa teoria, seriamos tachados de ignorantes, iletrados ou um nome pejorativo de animal de carga.
Bem, nessa hora sinto falta dos políticos (bons politicos, outra classe em extinção), aqueles seres que fazem leis para o seu bel prazer e esquecem dos que apertaram as teclas, para eles estarem ali, no lugarzinho chamado
INERCIA. Poderiam ressuscitar o tupi-guarani nas escolas como disciplina curricular; unificar todas as regras gramaticais da língua portuguesa e acima de tudo cumprir as propostas que tanto nos perturbam (cá pra nós, continuamos desacreditados) durante o programa eleitoral.
E o pior! Ainda somos obrigados a votar.

1 Comments:

At outubro 08, 2006 7:04 PM, Blogger Pablito said...

"Minha alma tem o peso da luz.
Tem o peso da música. Tem o
peso da palavra nunca dita,
prestes quem sabe a ser dita.
Tem o peso de uma lembrança.
Tem o peso de uma saudade.
Tem o peso de um olhar.
Pesa como pesa uma ausência.
E a lágrima que não se chorou.
Tem o imaterial peso da solidão
no meio de outros."

***** CLARICE LISPECTOR


Neta,

Estou com saudade de todos vocês...
apareçam.
Beijos, Pablo.

 

Postar um comentário

<< Home

Acessos:

Image by FlamingText.com
Image by FlamingText.com